05222018Ter
Última atualizaçãoQui, 26 Abr 2018

slot

Carta do Itamaraty marca mudança na relação do Brasil com governo da Venezuela

Em uma clara demonstração de que mudou seu comportamento em relação à Venezuela e que não está mais disposto a concordar com determinadas atitudes do presidente Nicolás Maduro, o Brasil divulgou nota cobrando do governo bolivariano respeito ao resultado das eleições parlamentares de dezembro.

"Não há lugar, na América do Sul do século XXI, para soluções políticas fora da institucionalidade e do mais absoluto respeito à democracia e ao Estado de Direito", avisou o Brasil, em nota distribuída nesta terça-feira à tarde, pelo Ministério das Relações Exteriores.

A carta foi aprovada pelo Palácio do Planalto, em resposta à tentativa dos governantes chavistas de tentar impugnar a posse de alguns deputados eleitos pela oposição ao Tribunal Supremo de Justiça, no qual a maioria dos juízes foi nomeada pelo governo venezuelano e dificilmente toma decisões contrárias aos interesses de Nicolás Maduro.

"Como afirmou em outras ocasiões, o governo brasileiro confia que será plenamente respeitada a vontade soberana do povo venezuelano, expressada de forma livre e democrática nas urnas", disse o Itamaraty. 

"Confia, igualmente, que serão preservadas e respeitadas as atribuições e prerrogativas constitucionais da nova Assembleia Nacional venezuelana e de seus membros, eleitos naquele pleito", emendou o Brasil, deixando clara a sua insatisfação com o comportamento dos chavistas.

O governo brasileiro tinha comemorado o fato de Nicolás Maduro, em um primeiro momento, ter aceito e respeitado o resultado das eleições de dezembro, que deu vantagem à oposição venezuelana no Parlamento daquele país. Mas ficou perplexo e muito preocupado com os últimos atos ocorridos, que culminaram com as ações dos chavistas comandadas por Maduro.

O Brasil, então, decidiu se posicionar de forma dura, de imediato, para repudiar as tentativas de manobras jurídicas dos chavistas, mostrando que é contra este tipo de atitude. O assessor internacional do Palácio do Planalto, Marco Aurélio Garcia, conhecido por sua simpatia aos bolivarianos, também defendeu o duro tom da nota do governo da presidente Dilma Rousseff.

Apesar de Maduro aparentemente ter reagido como se tivesse acatado o resultado das eleições e ter mandado sinais ao Brasil de que entendera o recado do vizinho em relação à manutenção de práticas democráticas e respeito às urnas, ainda em dezembro, começou a adotar atitudes que acenderam uma luz amarela em Brasília.

Além da tentativa de impugnação impetrada pelo Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), o chavismo também apressou a aprovação de leis nos últimos dias nos quais ainda estava vigorando a Lei Habilitante, aprovada pelo Congresso anterior, de maioria chavista, que permitia a Nicolás Maduro governar por decreto até 31 de dezembro, em temas econômicos. Com isso, uma das últimas medidas do presidente foi retirar do Legislativo o poder de nomear parte dos diretores do Banco Central da Venezuela (BCV).

A nota do Itamaraty traz um recado de repúdio a estas manobras quando diz que "o governo brasileiro confia, igualmente, que serão preservadas e respeitadas as atribuições e prerrogativas constitucionais da nova Assembleia Nacional venezuelana e de seus membros, eleitos naquele pleito".

Ainda segundo a nota, o governo brasileiro "insta todos os atores políticos venezuelanos a manter e aprimorar o diálogo e a boa convivência, que devem ser a marca por excelência das sociedades democráticas". 

O Itamaraty lembrou ainda que "a lisura da votação do dia seis de dezembro", na qual a oposição obteve a maioria qualificada da Assembleia Nacional, e que contou com expressiva participação dos eleitores, foi atestada pela Missão Eleitoral da União de Nações sul-americanas (Unasul), validada pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE).

Esta é a segunda nota que o Brasil divulga atacando o governo Maduro em pouco mais de um mês. A primeira foi em 27 de novembro, quando, em texto cuidadosamente escrito e aprovado pessoalmente pela presidente Dilma Rousseff, o governo brasileiro condenou, com veemência, a morte do político oposicionista venezuelano Luís Díaz, secretário-geral do partido Ação Democrática (AD), assassinado durante um comício, e cobrou das autoridades da Venezuela a necessidade de "investigar os fatos e punir os responsáveis", para que as eleições marcadas para o dia seis de dezembro, transcorressem de forma "limpa e pacífica".

Quando o novo presidente da Argentina, Maurício Macri, foi eleito e anunciou que iria questionar a presença da Venezuela no Mercosul, por estar violando cláusulas pétreas de democracia que regem o bloco, o Brasil foi contrário à iniciativa. Na reunião do Mercosul, em 21 de dezembro, no Paraguai, a presidente Dilma Rousseff fez um discurso entendido como conciliador, já que se congratulou com Macri e elogiou o processo democrático venezuelano.

Um interlocutor da presidente ressalvou, no entanto, que talvez os venezuelanos tenham entendido, erroneamente, que as falas de Dilma foram de apoio a Maduro. No final do mês de janeiro, todos os atores da América Latina deverão estar presentes em reunião de cúpula, no Equador. Neste encontro, uma posição conjunta poderá ser discutida para, se aprovada, ser adotada contra os atos da Venezuela.

* Agência Estado/Zero Hora


Armadura Emprestada

Em 1 Samuel 17:38-39Saul oferece a sua própria armadura para o jovem Davi. Fico imaginando que a armadura de batalha do rei devia ser algo esplendido. A melhor que havia, afinal ia proteger a vida do rei de uma poderosa nação. Devia ser de um tipo de metal mais resistente, um design mais moderno e estratégico da época, além da beleza é claro. Mas imagino também aquele pequeno jovem tentando se encontrar dentro daquela armadura e quando comprova que não se encaixar em sua estrutura física simplesmente recusa a oferta do rei, pega seu cajado e vai para o ribeiro.

Que grande lição que Davi nos dá nesta passagem. Ele não se importou em assumir que não tinha costume com aquele tipo traje. Ele não se importou em recusar uma oferta do rei. Ele não se envergonhou de quem ele era, ou do que tinha conhecimento, ou do que estava em suas mãos. Davi rapidamente reconheceu que aquela armadura por mais bem feita, bonita ou eficiente que fosse o impedia de caminhar. Impedia de cumprir aquilo que Deus colocou em seu coração e o ensinou ao longo do seu devocional diário.

Muitas vezes, nós mulheres não conseguimos recusar ofertas que são nos feita por que foram feitas por alguém que julgamos ser importante.

Muitas vezes aceitamos de sugestões em como proceder diante de algumas situações de pessoas amedrontadas, pessoas com pouca experiência com Deus, com pouca fé ou confiança Nele.

Muitas vezes aceitamos armaduras que não cabe em uma Mulher Sábia, não se ajusta no padrão que o Senhor nos formou e nos quer.

Muitas vezes até almejamos armaduras bonitas, modernas mas que não fica bem em nós, que não foram feitas para nós.

Seja uma Mulher Sábia que confia no Senhor e na sua palavra. Firma-se nas experiências diárias que Deus te proporciona e quando for é oferecido algo, rapidamente saiba discernir se cabe na posição que Deus te chamou e quer colocar. Não deixa que nada a impeça que você caminhe na direção daquilo que o Senhor colocou em seu coração. Não deixa que nada te impeça em cumprir o propósito de Deus para sua vida e a vida se sua família.

 

Letícia de Moura Rosa

Ex-panfleteiro compra escola do patrão e fatura R$ 24 mi com aula de games

Alessandro Bomfim, 37, protagonizou uma virada. De entregador de panfletos de uma escola de informática no Rio de Janeiro, ele se tornou o dono do negócio, modernizou as aulas e criou uma rede, a Saga, que faturou R$ 24 milhões em 2014. Entre os cursos oferecidos estão computação gráfica e desenvolvimento de games.

Antes, ele foi office-boy, entregador de pizza, balconista, auxiliar de serviços gerais, entre outros bicos que o ajudavam a sobreviver enquanto lutava pelo sonho de se tornar cantor de funk. Mas foi distribuindo panfletos, em 1997, que as portas se abriram. Ganhando R$ 10 por dia como freelancer, ele já se destacava ao atrair muitos alunos e foi chamado para integrar a equipe fixa da escola.

Como queria ter liberdade de horário para poder levar suas músicas às rádios, recusou a proposta. Mas, cerca de um ano depois, sem resultados no mundo da música, resolveu se dedicar mais ao emprego e aceitou o cargo de vendedor externo. Com bom desempenho, logo virou gerente de vendas e, depois, gerente-geral da escola.

À frente da gestão, sentia necessidade e vontade de promover mudanças. "Eu dava várias sugestões, principalmente no perfil dos cursos, mas os donos não aceitavam, eram muito fechados", afirma.

Primeira medida como patrão foi abolir aulas de Power Point

Em 2002, ele se juntou a dois amigos --um deles, sócio-investidor-- e fez uma oferta para comprar a escola. O investimento na época foi de cerca de R$ 90 mil, mais o pagamento de algumas dívidas da empresa. Sua primeira ação como dono foi abolir o curso genérico de informática, que ensinava a usar programas como Power Point e Excel, e criar o de computação gráfica, mais especializado.

"Era uma linha totalmente diferente do que o mercado nacional estava aplicando naquele momento", declara. A estratégia se mostrou correta e logo Bomfim inaugurou filiais em São Gonçalo (RJ) e em São Paulo (SP).

Em 2009, atento ao mercado internacional, ele identificou outra tendência: ensinar mais embasamento artístico, não apenas a mexer nas ferramentas. "Comecei a implementar isso, mas percebi que exigiria uma grande reformulação dos cursos. Então, resolvemos mudar tudo, inclusive o nome da escola, para virar, de fato, uma escola de arte digital", declara.

Hoje, a Saga oferece cursos de computação gráfica, de desenvolvimento de jogos em 3D, de maquetes eletrônicas e de personagens 3D. As mensalidades variam de R$ 270 a R$ 550. Há unidades em Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Guarulhos (SP), Recife (PE), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Embora forme mão de obra para o mercado, 99% dos alunos são adolescentes entre 13 e 16 anos interessados no mundo digital, segundo Bomfim. Mais de 12 mil alunos já passaram pela escola. Desde 2011, a Saga tem parceria com a Gnomon School of Visual Effects, escola de efeitos especiais de Hollywood. 

Concorrência e dólar alto são desafios atuais

Embora tenha alcançado o sucesso, a saga de Bomfim continua. Hoje seus desafios são a concorrência e o dólar alto. "O mercado hoje está mais difícil, por isso, procuramos sair do tradicional eixo Sul-Sudeste. Temos duas unidades no Nordeste e pretendo abrir uma na região Norte. Como trabalhamos com softwares originais e importados, sofremos com a alta do dólar", diz.

Para o especialista em inovação Valter Pieracciani, sócio da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas, o ramo exige que o negócio se reinvente o tempo todo para acompanhar as mudanças tecnológicas e econômicas. Segundo ele, uma oscilação do mercado pode fazer as famílias cortarem gastos extras com cursos extracurriculares.

"Frases como 'em time que está ganhando não se mexe' e 'sempre fizemos assim e funcionou' devem ser abolidas do mundo dos negócios. Hoje, as empresas aprendem fazendo. Se fizer bem feito e o cliente perceber valor naquilo, ele vai pagar."

Fonte: UOL

Quem ficará de fora do céu?

A palavra de Deus diz que a todos foi dado o direito de conhecer a Jesus. Alguns porém o rejeitaram. Ele veio para os seus, mas nem todos o receberam, por isso mesmo nem todos poderão entrar no céu, nem todos se tornaram filhos, filhos de Deus. Infelizmente alguns ficarão de fora porque esta foi a escolha que fizeram.

Antes, porém, vamos fazer uma revisão nas escrituras, pois é necessário relembrar através da Bíblia, que nem todos são filhos de Deus. Isso mesmo! Um paradigma. São todos filhos de Deus? Vejamos o que diz a Palavra de Deus:

João 1:1-12

1  NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
2  Ele estava no princípio com Deus.
3  Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
4  Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
5  E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.
6  Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.
7  Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.
8  Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz.
9  Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.
10  Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.
11  Veio para o que era seu, e os seus não o receberam.
12  Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome;
13  Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.

Somos todos filhos de Deus?

Quem são os filhos de Deus? João respondeu: “Todos os que receberam a Cristo” (vs12). Ora, não se trata de um achismo religioso, e, sim de uma narrativa bíblica, um princípio espiritual estabelecido por Deus. Obviamente, que aquele que não recebeu a Cristo, que se apresentou pessoalmente na terra, ainda não se se tornou um filho de Deus. Nem todos são filhos Dele ainda! É necessário abandonar o pensamento de rejeição da proposta divina. Ora, dentro deste princípio é notório concluir que quem é filho tem direito à herança, quem não é filho de Deus não tem direito a herança Dele.

Somente os filhos de Deus, aqueles que não rejeitaram o seu plano de salvação no Messias, poderão ter direito a herança do Pai. Para reforçar a narrativa de João, vamos ver o que o Apóstolo Paulo nos deixou de legado, no livro de Romanos, capítulo 8:

“Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus. 15  Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. 16  O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. 17  E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.”

Há uma observação muito relevante a fazer por aqui. E, é simples. A humanidade, incrédula, precisa receber a Jesus para se tornar filhos de Deus, porquanto ser apenas parte da criação Dele não vale para ter acesso ao reino dos céus.

O livro de Mateus, no capítulo 25:34 também promete assim:

“Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo.”

Se Deus chamará para entrar em seu reino, “aqueles que estiverem à sua direita”, é porque o outro grupo certamente estará à sua esquerda. E, infelizmente, infelizmente mesmo, estes ficarão de fora!!!

De que lado você estará Naquele Dia? No lado direito ou no lado esquerdo?

Mas o que biblicamente é necessário fazer para ter entrada no reino dos céus?

Jesus respondeu a esta pergunta através de várias parábolas. Em uma delas Ele cita o motivo pelo qual falava em parábolas.

Ele disse: “Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem. 14  E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz:Ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis,e, vendo, vereis, mas não percebereis.” (Mateus 13:13).

Quem ficará de fora do Reino dos Céus?

Jesus veio para facilitar tudo! Por isso falava de forma simplificava e ainda ilustrava com uma história de reforço. É impossível dizer que não entendia-se as palavras do Rei, mesmo assim, alguns irão optar por não ouvir o evangelho e, por causa de seus próprios orgulhos ficarão de fora como está escrito emApocalipse 22:15:

“Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.”

Mas, quem são os cães que a Bíblia menciona?

Ora, “cães” é uma metáfora que dá o significado de impureza e distanciamento de Deus. Os cães domésticos de hoje, eram lobos selvagens, que há milhares de anos foram domesticados pelo homem, viviam às margens da vida humana, escondidos na mata em trevas, e, dificilmente eram vistos a qualquer hora da luz do dia, e estavam loucos por despedaçar a sua presa, como mencionado em vários textos do AT. É como alguns seres humanos se comportam. Algumas pessoas em situações de marginalização não são encontradas na luz e vivem somente nas horas das trevas, onde desejam esconder os seus pecados ou loucuras, e decidiram voluntariamente não receber a Palavra de Deus em troca de uma insana ilusão de poder e autonomia espiritual presenteada pelo mundo das trevas, porém vivem numa escravidão que zomba do Deus Altíssimo. Diz Mateus 7:6: Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, não aconteça que as pisem com os pés e, voltando-se, vos despedacem.” Rebeca Brown em seu livro “Ele veio para Libertar os Cativos”, contextualiza na qualidade de suas experiências com o satanismo, que “cães” são homens e mulheres que perambulam pelas noites sombrias como se fossem “zumbis” ou “lobisomens”, “pessoas enlouquecidas”, distantes da luz! (uma comparação para facilitar o conceito). Os cães são escarnecedores e zombadores. É muito comum que estes estejam envolvidos profundamente com o satanismo, mergulhados em magias, encantamentos, ocultimos e seus derivados, como a feitiçaria. Os cães ficarão de fora do reino do céu.

O que é feitiçaria?

Antes do grego, muitos magos haviam em todo o Egito. Eles praticavam o mesmo que curandeirismo e seus derivados. É uma forma de usar uma droga ou mistura para praticar uma cura espiritual com ajuda de poderes desconhecidos da natureza e da ciência humanas. No entanto, Deus proíbe a feitiçaria. A Bíblia registra em Deuteronômio 18:9-13  uma mensagem de desaprovação da feitiçaria no meio de seu povo:

Ele disse: “Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daqueles povos. Não se achará no meio de ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro, nem encantador, nem quem consulte um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz estas coisas é abominável ao Senhor, e é por causa destas abominações que o Senhor teu Deus os lança fora de diante de ti.” Aqueles que estão envolvidos na feitiçaria ficarão de fora do reino de Deus.

O que significa ser homicida?

Filhos do pecado de Caim. É a morte de um homem provocada “voluntariamente” por outro homem. Caim matou por inveja, mas o pecado da humanidade se multiplicou. Isso é abominação contra o Deus da vida! Todos os homicidas alimentam um desejo de sangue maldito. Só o sangue de Jesus é bendito em sua morte!! O homicida ficará de fora do reino dos céus.

Qual o significado de idolatria?

“Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniqüidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do Senhor, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei.” Isso foi o que Saul ouviu da boca do profeta Samuel quando consultou o mundo dos mortos, e, porque porfiou (teimou) com Deus rejeitando os seus conselhos. Contextualizando, a maior característica de um idólatra é a teimosia. Muitos desejam teimar ao idolatrar a sua religião ou aos seus deuses de prata, bonze, ouro, ferro, metal ou madeira, isso porém, é uma parte da rebelião contra o Deus Criador. Por isso, como está escrito, os idólatras ficarão de fora do reino do céu.

O que é mentira?

Essa é uma especialidade do diabo. É muito comum ver pessoas mentirosas ligadas às “trapaças”, “trambicagens” e “corrupções da vida”. O mentiroso é altamente sagaz e egoísta porque a mentira é criada para favorecer a si mesmo em troca de vantagem exclusiva que lhe garanta conforto, prazer para si e poder diante dos demais. A mentira é o contrário da verdade, passando a ser uma ‘verdade’ de acordo com a conveniência, “esperteza” e a malícia do autor da mentira. Por exemplo, no século 21, alguns ativistas, seitas ou religiões forçam a barra sorrateiramente para chamarem seus movimentos de “igrejas”, mas não o são.  Um outro forte exemplo do século 21 é roubar sorrateira e ‘profissionalmente’ o dinheiro ou outro bem de um próxim, e ainda negar o que já foi conhecido por meio de provas e testemunhas. A mentira vai se tornando cada vez mais verdade quando de sua repetição. O mentiroso engana tanto aos outros e, sobretudo a si mesmo que o seu sistema psicológico já percebe mais que o ato de mentir seja algo errado. Mas, a mentira é condenada por Deus desde sempre. E, por isso, também, desde os primeiros eventos bíblicos (exemplo: Caim enganando Abel ou Jacó trapaceando a primogenitura), desde sempre Deus convidou o homem a reconciliar-se com Ele, oferecendo a bênção em vez da maldição. Alguns trapaceiros rejeitaram este convite de Deus, e, por isso, ficarão de fora do reino dos céus, através de impeachment espiritual.

A Porta estreita

Não se engane, Jesus avisou que a porta do céu é estreita, porquanto muitos foram chamados, mas poucos escolhidos. Não por falta de aviso alguns homens e mulheres, criaturas de Deus, ficarão do lado de fora do reino dos céus:

“Porque bem sabeis isto: que nenhum devasso, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, temherança no reino de Cristo e de Deus” (Ef. 5:5).

Não se engane!! Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. 18  Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. 19  Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, 20  Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, 21  Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.

O que a igreja deve fazer para ajudar estas pessoas a encontrarem o caminho concreto, A Verdade?

Muitos destes que ficarão de fora, certamente, porque confiaram mais em sua religião a crer no evangelho. Há um grande abismo entre oferecer uma religião ao mundo e anunciar o evangelho. A primeira opção, a religião, foi criada pelo homem, e por isso é aparentemente confortável, mas é uma ilusão que vai se transformar num “caos”, pois não representa a vontade de Deus. Isso não salva! Jesus não valorizou a religião!!

A segunda opção, é apresentação das Boas Novas de Salvação ao mundo, essa é a vontade de Deus, por isso é um “Plano Perfeito”: a restauração do Reino de Deus na terra! Esta visão é aquela que Cristo valorizou!

Isso, porém, não significa que devamos deixar de congregar, mas podemos agregar valor à nossa comunidade, influenciando e ensinando as pessoas a enxergarem o reino em vez de se limitarem a um sistema religioso de crenças em coisas que Jesus não deu importância.

Ir ao mundo pregar o evangelho é um comando de resgate.

Se há necessidade de “resgate” é porque há aflitos e perdidos no meio das religiões, inclusive dentro dos templos evangélicos! Ser “evangélico” não significa “estar” salvo, pois a denominação (opção nominal de uma fé), não garante a salvação, e, sim o “exercício” da fé em Cristo! Portanto, a humanidade precisa saber que ir ao culto não a salvará, mas, o ser um culto é o primeiro passo para a verdadeira adoração ao Deus Criador.

Ora, pessoas “religiosamente corretas” deixam Jesus em stand by, pois, pensam que podem controlar ou agendar o dia em que vão servir a Deus e abandonar o pecado. Temos visto mais ou menos atitudes assim: “Segura as pontas aí Jesus, deixa só eu terminar de pecar, que já volto e negocio contigo”. (fora de princípio espiritual).

A Salvação NÃO é um negócio

Ora, a salvação, é um plano gratuito de Deus, por isso não tem méritos próprios, nem regra matemática, nem é eleição política, nem o evangelho é carreira profissional em que se planeja e agenda-se o dia para servir a Cristo, sendo que ninguém conhece o dia de amanhã!

A salvação é agora!! Tudo se faz novo! E, que ninguém pode servir a dois senhores ao mesmo tempo! O mundo está equivocado achando que o evangelho é fama e riqueza gospel, pois é o que tem sido apresentado pelas igrejas do século 21. É necessário renovar a mente! Trocar uma mente religiosa por uma de Cristo! Por isso, a humanidade não precisa de sistema religioso, a humanidade precisa de salvação, e salvação em Jesus!

O que o pecador deve fazer para entrar no reino dos céus?

O primeiro passo é arrepender-se. Muitos dos feiticeiros dos tempos de Paulo levavam seus livros de feitiçarias para queimarem na fogueira. Isto era um genuíno sinal de arrependimento. O segundo passo é buscar orientação pastoral numa igreja evangélica séria e com visão de reino de Deus para ajudar a fugir da religiosidade.

Concluo este pequeno artigo com uma escrita da Bíblia trazendo uma solução divina para o pecado. Deus é bom! Ainda há chance de ter direito à herança do Rei. E, agora a escolha depende apenas de você!

Deuteronômio 30:19 diz:

“Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, abênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência“.

 

Claudio Santos

Julgar ou não julgar?

Muitos tentam aplicar a passagem que diz “Não julguem, e vocês não serão julgados” em qualquer situação. Mas isto seria contrariar o ensino das Escrituras que nos manda julgar o pecado e a má doutrina. Aqui Jesus fala de não julgar as pessoas, seus motivos e modo de ver as coisas. O contexto inclui a indagação: “Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois no buraco?” (Lc 6:39).

Um cego não pode guiar outro cego, mas também não há utilidade, espiritualmente falando, em alguém que vê guiar um cego. O primeiro acabará se exaltando de sua capacidade de visão e o segundo irá sempre depender do outro para achar o caminho. Os fariseus, sim, eram cegos guiando outros cegos, e só no evangelho de Mateus eles são chamados assim por cinco vezes.

Os sacerdotes do Antigo Testamento só podiam julgar as coisas pelas aparências, mas o cristão está aparelhado para julgar do ponto de vista espiritual. Todo aquele que creu em Cristo foi selado com o Espírito Santo da promessa, pois “se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo” (Rm 8:9). Assim, o cristão genuíno tem vista e percepção espiritual. O que foi tocado por Jesus pode dizer: “Eu era cego e agora vejo” (Jo 9:25).

Obviamente alguns teólogos e líderes religiosos odeiam ouvir isso. Tal ideia os coloca no mesmo nível de um analfabeto salvo por Cristo, já que ambos desfrutam de uma mesma percepção espiritual, qualidade que não depende de capacidade intelectual, mas do Espírito de Deus. Porém os crentes não têm todos os mesmos dons, a mesma comunhão e um idêntico crescimento no conhecimento de Deus. Por isso aquele que recebeu de Deus um dom poderá ajudar seu irmão em um momento, e ser ajudado por ele em outro. Mas nenhum dos dois é cego: ambos têm a vista e o senso de orientação que vêm da nova vida em Cristo.

Mas, voltando à questão do julgar, não devemos julgar as pessoas e seus motivos, mas devemos julgar os pecados ou as doutrinas que as contaminam, tendo como padrão a Palavra de Deus. Julgar a coisa que contamina sem julgar a pessoa contaminada é mais ou menos como falar mal do cigarro por amor ao fumante. Alguém que tenha o Espírito de Deus, e está assim dotado de visão espiritual, certamente se deixará guiar por um irmão que enxergue nele alguma falta apontada na Palavra de Deus, e entenderá que o outro faz isso por amor.

Autor: Mario Persona


Bingo sites http://gbetting.co.uk/bingo with sign up bonuses