05222018Ter
Última atualizaçãoQui, 26 Abr 2018

slot

Notícias

Homens muçulmanos tentam estuprar jovem cristã, mas fogem ao ter visão de Jesus protegendo-a

Uma jovem universitária que conheceu a Jesus Cristo e se entregou a Ele por intermédio de uma família missionária tem um dos testemunhos mais chocantes de experiência sobrenatural, quando foi livrada de um estupro coletivo.

A história de Phoebe começa quando ela conheceu uma jovem cuja família atuava como missionária da organização Bibles For MidEast (“Bíblias para o Oriente Médio”, em tradução livre) e a evangelizou, falando sobre quem era Jesus, um desconhecido para ela, já que sua família pertence à casta Brâmane, que no hinduísmo é a mais alta da religião.

Os relatos da colega de universidade foram a introdução para um sonho, em que Phoebe se encontrava com um homem que a convidava para segui-la. Intrigada, ela conversou com a amiga e pediu explicações sobre o que tinha lido na Bíblia, e descobriu que tinha sido visitada de forma sobrenatural pelo Filho de Deus. Assim, decidiu entregar-se a Jesus.

Quando concluiu a fase de provas daquele ano na faculdade, ela passou a trabalhar para uma empresa e lá conheceu um homem chamado Jawad, que era muçulmano e a pediu em casamento. Na ocasião, Phoebe não sabia, mas a intenção do rapaz era obriga-la a se converter ao islamismo depois que estivessem vivendo juntos.

O relato do testemunho da jovem foi feito por carta pelo pastor Peter Haneef, que lidera a igreja Assembleia do Deus Amoroso. O líder cristão conta que quando Phoebe compartilhou sua fé em Jesus com o pretendente, ele se enfureceu. Diante da reação de Jawad, ela decidiu que não aceitaria o pedido de casamento, o que só tornou as coisas mais turbulentas.

Jawad, irritado com a rejeição, armou uma cilada após o horário de trabalho. Ele e alguns amigos atacaram Phoebe e arrastaram-na para um local afastado, com a intenção de estuprá-la. No desespero, a jovem clamou a Jesus pedindo por ajuda a plenos pulmões.

“Imediatamente, um homem com aparência de fogo apareceu em frente a todos eles e resgatou Phoebe. O calor do homem era tão forte que as roupas dos agressores ficaram praticamente queimadas. Eles fugiram quase nus. Phoebe acredita firmemente que Jesus a salvou”, relatou o pastor Peter Haneef.

De acordo com Phoebe, uma voz clara falou a seu coração: “Não tenha medo. Você é minha filha querida. As montanhas podem tremer e as colinas podem cair, mas meu amor por você não vai falhar ou ser abalado”.

Até esse episódio, a família da jovem permanecia presa às tradições de sua casta, já que tradicionalmente é das famílias brâmanes que saem os sacerdotes dessa vertente hinduísta. Quando ela relatou suas experiências e o episódio da tentativa de estupro, todos ficaram maravilhados e decidiram confessar a Cristo como Salvador.

Segundo o pastor Hanneef, todos os familiares de Phoebe continuam seguindo a Cristo até hoje e são frequentadores da igreja.

Fonte: Gospel Mais


Feiticeiro é curado após oração de pastor em supermercado

Estar sempre atento às oportunidades de compartilhar a mensagem do Evangelho e o que Jesus pode fazer. Parece que este lema acompanha muitos evangelistas, como por exemplo Todd  White, que tem o costume de registrar seu cotidiano em vídeos e acaba mostrando que as chances de falar do amor de Cristo e orar pelas pessoas aparecem diversas vezes ao dia.

Em um de seus vídeos recentes, ele contou que em uma de suas viagens para pregar em outra igreja, suas malas foram extraviadas e ele e seu parceiro de ministério precisaram ir a um supermercado para comprar algumas coisas, até que sua bagagem chegasse ao hotel.

Assista

Todd seguiu para um mercado próximo, para comprar as coisas que precisava e, ao pedir ajuda a um funcionário, percebeu que o homem andava com certa dificuldade. Então sentiu que devia orar por ele.

"Antes dele ir embora, eu perguntei: 'ei, cara... como estão suas costas? Seu corpo? Seus joelhos, tem algo de errado?", contou.

O funcionário respondeu que o pé direito dele doía muito e ele já convivia com esta dor há bastante tempo.

Então Todd pediu para orar pela cura daquele homem, para que o pé dele parasse de doer.

"Não me ache louco, deixe-me orar pelo seu pé", pediu o evangelista.

Quando começou a sentir seu pé sendo curado, o funcionário disse que aquilo era "estranho", mas Todd respondeu que quem estava fazendo aquilo era Jesus.

Ainda impressionado com tudo aquilo, o funcionário chamou um de seus colegas para ver o que aconteceu, e este colega também disse que tinha um problema no pé. Então Todd orou por ele e ele também foi curado.

Todd voltou ao primeiro funcionário por quem ele orou e descobriu que ele mexia com bruxaria (era adepto da seita 'Wicca') e então o evangelista orou pelo rapaz.

"Nós não devemos nos sentir ameaçados pela bruxaria. Nós carregamos a luz. Você não deve se sentir ameaçado pela escuridão", disse Todd ao comentar o ocorrido.

Todd contou que o rapaz não se entregou a Jesus ali, naquele exato momento, mas acredita firmemente que que ele não se esquecerá da cura que recebeu naquele dia e que foi Jesus quem o curou.

"Nós plantamos, regamos, mas Deus é quem traz o crescimento. Deus é quem pode salvar, nós somos apenas seus vasos", destacou.

Fonte: Guia-me

Missionário se recusa a deixar comando de hospital no Iraque: "Deus está trabalhando"

Durante sete anos bastante tumultuados, Matthew Nowery foi sustentado por sua incrível fé, enquanto trabalhava na organização  cristã Samaritan's Purse, no norte do Iraque. Ele que antes atuava para curar o terrível dano causado pelo Estado  Islâmico, desde que invadiram Mosul em 2014, agora foi promovido para diretor nacional do projeto no Iraque. Atualmente, Matthew vive em Erbil com sua esposa, Sarah e seus filhos, Ezra e Macy.

Não é uma vida fácil. Matthew, que se juntou à organização em 2005 e passou cinco anos trabalhando com a Igreja perseguida no Sudão, pesquisando e documentando as atrocidades cometidas contra os cristãos pelo governo do norte, diz agora que se apaixonou pelo povo iraquiano. "Embora não entendamos por que essa mágoa aconteceu, sabemos que Jesus os conhece e os ama. É difícil. É um lugar extremamente difícil de trabalhar”, compartilhou.

Seria bem difícil de imaginar como Matthew teria sobrevivido no trabalho sem sua fé inspiradora. "Nossa família está envolvida com o povo do Iraque há quase oito anos, e temos visto que o que Jesus faz neste país é sem precedentes. Temos visto a mão de Deus trabalhar de forma inexplicável. Embora seja difícil, somos chamados e Deus está nos permitindo o privilégio de ser luz aqui. É um lugar extremamente difícil de trabalhar, mas vou dizer que os pontos positivos ultrapassam os negativos”, contou.

Comprometidos

“Minha esposa e eu não trocamos isso por nada. Estamos comprometidos em permanecer e ajudar enquanto Deus nos permitir". Apesar de Mosul ter sido liberto das forças do Estado Islâmico, segundo os oficiais do Iraque, a região permanece em estado de desespero. "Haverá um pensamento de que agora que Mosul foi declarado livre e que a guerra acabou, as pessoas vão voltar sua atenção para outro foco. Eu só quero lembrar a todos que os iraquianos precisam da nossa ajuda agora mais do que nunca", diz o missionário.

"Muitos, se não a maioria dos cristãos, não podem voltar para casa, porque suas casas não estão lá, e seria uma tragédia se afastar. Quero, por favor, lembrar a todos o quão importante é esse trabalho agora", alertou.

Cerca de 80 mil refugiados cristãos iraquianos fugiram de Mosul e da planície de Nínive sob ameaça de conversão ou execução forçada, quando os cristãos iraquianos foram expulsos de suas casas pelo avanço do Estado Islâmico no verão de 2014. Agora, o governo do Iraque declarou Mosul livre do grupo terrorista, mas, como Matthew explicou por telefone para o site Christian Today, no terreno "ainda há ataques aéreos do EI" causando grandes danos.

Fonte: Guia-me

Perlla deixa carreira gospel e anuncia retorno ao funk e à música pop

A cantora Perlla afirmou ao jornal Extra que está desistindo de sua carreira como cantora gospel e que irá retornar ao mercado secular.

“Quero voltar a levar minha alegria para as pessoas. Antes, eu estava em outra vibe, com outros pensamentos, imaginava que não dava para conciliar a minha religião com essa carreira artística, mas descobri que posso continuar sendo a Perlla que eu sempre fui porque a saudade ficou”, disse ela.

Ao que parece, a participação da cantora no programa “Pagode do Gago” na Rádio FM O Dia fez com que ela percebesse que o público que ela abandonou sentiu sua falta e ainda gosta de sua música. A participação dela nessa atração, fez com que o pastor Otoni de Paula a impedisse de se apresentar em sua igreja.

Perlla frequenta hoje a Igreja Batista da Lagoinha na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, ministério liderado pelo casal Filippe e Mariana Valadão. Ela continuará frequentando a igreja, mas não seguirá mais como cantora gospel.

“Fiquei um tempo dedicada a minha família, mas decidi que agora, com minhas filhas maiores, é o momento de voltar”, declarou ela que é casada com o músico Cássio Castilhol, com quem tem duas filhas: Pérola, de 5 anos, e Pietra, de 4.

Estilo musical não definido

Perlla não usará mais o MC na frente de seu nome e prefere não rotular o estilo musical que irá seguir. “Com relação a minha música, eu nunca gostei de rotular”.

A cantora sabe que abriu as portas para que cantoras de funk melody surgissem e acredita que foi influência para cantoras como Anitta e Ludmilla. “Se perguntarem para elas [Anitta e Ludmilla] se em algum momento ouviram as minhas canções, acho difícil não responderem que não fui uma inspiração. O que existe hoje foi porque eu deixei um caminho, uma estrada. Se elas seguem determinado estilo, foi porque passaram pelo meu som”, afirmou.

Cantora não se arrepende de seguir no gospel

Se hoje ela volta ao mercado secular, não se arrepende de ter se dedicado nesses últimos sete anos a meio gospel e pretende participar do ministério de louvor de sua igreja.

“Não me arrependo de nada que fiz. O tempo de amadurecimento em todas as áreas foi muito importante. E tive o apoio dos pastores da igreja para seguir. Eles disseram para eu levar minha alegria para as pessoas”, declarou ela.

Foram sete anos de ministério, onde Perlla chegou a lançar um CD pela Central Gospel Music com o título de “Minha Vida Mudou”. Com o fim do contrato com a gravadora, Perlla gravou mais um disco religioso o “Noite de Paz – Canções para Celebrar” pela Deckdisc e planejava um lançamento pela Mess Entretenimento.

Cantores que deixaram o gospel

Perlla não é a primeira cantora a deixar o gospel nos últimos anos. 

A decisão de Léo Brandão, por exemplo, tem repercutido fortemente nas redes sociais.

Imagem redimensionadaFãs do cantor lamentaram e pastores comentaram a decisão do jovem que agora deve seguir carreira como cantor sertanejo. Mas Léo também não é o primeiro a tomar essa decisão, outros artistas já fizeram isso e muitos outros ainda tomarão essa atitude.

Em janeiro deste ano o meio gospel se abalou com a decisão de Felipão de voltar a cantar forró no mercado secular. O cantor conquistou o público evangélico, gravou CDs, visitou inúmeras cidades do país se apresentando em igrejas e depois decidiu voltar para uma banda de forró.

Outro cantor que recentemente deixou o meio evangélico foi Pierre Onassis que ficou oito anos se dedicando à música gospel, mas em 2015 resolveu voltar para o grupo Afrodisíaco, que mistura reggae, axé e MPB.

No mercado internacional há dois nomes que recentemente chamaram a atenção da imprensa por fazer essa migração de gospel para secular. Entre eles a cantora Britt Nicole deixou seus fãs surpresos com essa decisão.

Na Suécia, a troca de mercado foi a decisão tomada por Jonathan Thulin que agora segue carreira secular com o nome de Andreas Moss.

Artistas pop começaram a cantar na igreja

No cenário pop temos inúmeros nomes de artistas que iniciaram a carreira cantando na igreja e foram parar no topo das paradas de sucessos no mercado secular. Separamos alguns desses nomes que hoje são artistas consagrados, mas que tiveram suas bases dentro das igrejas norte-americanas.

Eles são: Elvis Presley, Stevie Wonder, Whitney Houston, James Brown, Ray Charles, Katy Perry, Britney Spears e Chris Martin.

Fonte: JM Notícia e Folha Gospel

Cristãos são decapitados por não negarem a Jesus em novo ataque terrorista, no Quênia

Membros do grupo extremista Al Shabaad mataram 13 pessoas no último fim de semana, no litoral do Quênia. De acordo com um sobrevivente do ataque, os muçulmanos da aldeia do condado de Lamu ajudaram os militantes islâmicos a identificar locais onde os cristãos moravam. Em entrevista para o site Morning Star News, ele comentou que várias das vítimas foram decapitadas.

Os extremistas mataram quatro cristãos em Kipini, no domingo (9), não muito longe da floresta de Boni, esconderijo dos rebeldes do Al Shabaab, que por sua vez lutam contra o governo na Somália. No início da manhã de sábado, em Jima, eles mataram outros nove em ataques que começaram às 11h.

Na noite anterior, eles haviam matado outras pessoas com machados, decapitando suas vítimas, de acordo com as fontes locais. "Os cristãos foram obrigados a recitar os dogmas islâmicos e eles não podiam fazer isso. Então, foram mortos", disse uma fonte. "Nós pedimos ao governo que investigue e traga esses muçulmanos que estão abrigando os terroristas da Al Shabaab, porque os cristãos que foram decapitados eram fazendeiros", alertou.

Segurança

Aqueles que conseguiram fugir e sobreviver tiveram suas terras danificadas por animais selvagens e ainda estão em grande choque, acrescentou a fonte. "O governo reforçou a segurança na área e esperamos que as vítimas que fugiram possam retornar em breve, pois precisam de aconselhamento sobre traumas emocionais", afirmou.

Os cristãos da região deixaram suas aldeias. "Agora estamos residindo na delegacia de polícia em hindi, por medo de novos ataques", disse um residente da área ao Morning Star News. Muitas pessoas da área ainda estão desaparecidas e temem que o número de vítimas possa aumentar.

Grave crise

Duas outras fontes no condado de Lamu disseram que os cristãos na região costeira do Quênia estão em grave crise à medida que enfrentam escassez de alimentos depois de fugir de suas fazendas. O secretário do Interior, Fred Matiang'i, impôs um toque de recolher de três meses nos condados de Lamu, Tana River e Garissa, em uma tentativa de combater os ataques da Al Shabaab. A medida começou no domingo (9) e estará em vigor até o dia 9 de outubro.

Os rebeldes da Al Shabaab, grupo aliado à Al Qaeda, lançaram vários ataques no nordeste do Quênia, uma vez que as forças do Quênia lideraram uma união africana na Somália contra os rebeldes, em outubro de 2011 em resposta a ataques terroristas contra turistas e outros na costa da região. Os ataques aos cristãos também continuaram. O Quênia ocupa hoje o 18º lugar na lista de perseguição religiosa do Ministério Portas Abertas.

Fonte: Guia-me


Bingo sites http://gbetting.co.uk/bingo with sign up bonuses