10232021Sab
Última atualizaçãoSeg, 04 Out 2021

slot

Notícias

PASTOR É ASSASSINADO ENQUANTO ORAVA

Um homem entrou numa igreja no Areal, em Águas Claras (DF) e matou um jovem pastor a tiros enquanto ele orava no altar, antes do início da aula da escola bíblica dominical (EBD), por volta de 09h30 da manhã no último domingo, 04 de outubro.

O pastor que foi assassinado tinha 35 anos e teve a identidade preservada. Ele foi alvejado, pelas costas, por tiros de revólver, enquanto orava. A igreja, localizada na Quadra Sul (QS) 11 do Areal, em Águas Claras, região administrativa do Distrito Federal.

Conforme informações do G1, uma fiel que participava da EBD também foi atingida de raspão no pé. A Polícia Civil foi chamada para periciar o local e registrou o caso como homicídio e lesão corporal na 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul).

Os investigadores colheram depoimentos de testemunhas que estavam no templo no momento do crime, e apesar dos relatos, ainda não foi possível identificar o autor dos disparos ou prender nenhum suspeito.

A criminalidade no Distrito Federal teve alta em agosto. As delegacias registraram 24 homicídios durante o mês, um número 14% superior às ocorrências do mesmo período do ano passado, quando houve 21 casos. Os números completos de setembro ainda não foram divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF).

Os dados preliminares apontam que o crime de homicídio é o único que cresceu em setembro no Distrito Federal, comparado ao mesmo período em 2019. Os demais tipos de crime mais comuns tiveram queda, com exceção dos latrocínios, que mantiveram o mesmo número do ano anterior.

Fonte Gospel Mais e G1

https://noticias.gospelmais.com.br/pastor-assassinado-tiros-orava-altar-140585.html


Justiça Alngolana julga em favor da Igreja Universal

A disputa judicial entre a Igreja Universal do Reino de Deus e o grupo de pastores rebeldes pelo controle dos templos em Angola teve novo capítulo, com um tribunal do país determinando a devolução dos edifícios à instituição brasileira em duas localidades.

As decisões judiciais se deram em resposta a ações movidas pela Igreja Universal, relacionada aos templos em Lunda Norte e Benguela. No processo, a instituição fundada pelo bispo Edir Macedo alega “reportado às autoridades competentes fatos que configuram a prática de vários crimes graves, consubstanciados em diversos atos criminosos de violência física, psicológica, ameaças, atos xenófobos, difamações, perseguição religiosa, entre outros”.

Em sua nota oficial, a Universal comemorou as decisões dos tribunais: “Em Lunda Norte, através de providência cautelar requerida pela IURD, foi proferida sentença que ordenou a restituição da posse da Igreja ilicitamente ocupada pelos dissidentes”, disse a direção angolana da instituição.

Os responsáveis pela Universal em Angola também acrescentaram que a medida liminar restituiu o templo provisoriamente à instituição, “legítima proprietária pelos fundamentos aduzidos”.

Sobre os templos em Benguela, a direção da Universal em Angola diz que o tribunal local decidiu no mesmo sentido: “os Requeridos [os pastores dissidentes] atuaram de forma premeditada, coordenada e organizada, orquestrando a tomada de assalto as igrejas da IURD à mesma hora, dessa forma, evitando qualquer resposta atempada por parte das autoridades, e de forma a amplificar e instigar o ódio, a violência religiosa e racial, que tem estado patente nas suas condutas, prestando declarações da comunicação social, procurando sentenciar o fim da requerente [a IURD]”.

“A conduta dos requeridos é ilícita e absolutamente inadmissível em um Estado de Direito, e apenas vem dar razão àquilo que a IURD tem reportado nas suas queixas crimes e nos pedidos vários que têm feito as autoridades”, finaliza a nota.

Presente de forma oficial e reconhecida pelas autoridades angolas desde os anos 1990, a Universal é considerada uma “igreja de direito angolano”, já que as leis do país estabelecem um alto grau de restrição para que comunidades religiosas sejam reconhecidas como igrejas autorizadas a funcionar.

O imbróglio atual envolve um grupo de pastores rebeldes, autodenominados “comissão de reforma”, que tomou o controle dos templos da Universal no país à força, com casos de agressão física e vandalismo, sob o argumento de que os líderes brasileiros da instituição estariam cometendo crimes de evasão de divisas, racismo e xenofobia, além de imporem aos pastores solteiros a realização de vasectomia.

Recentemente, a “comissão de reforma” admitiu que usou documentos fraudados para registrar uma ata de reunião que teria definido a destituição da diretoria da Igreja Universal no país.

Enquanto a disputa de narrativas se estende, a Procuradoria-Geral da República de Angola investiga a Igreja Universal por suspeita de lavagem de dinheiro, fraude fiscal e associação criminosa, e inclusive pediu à Justiça a determinação do fechamento dos templos da instituição em todo o país.

Fonte Gospel Mais 

 https://noticias.gospelmais.com.br/tribunais-templos-igreja-universal-localidades-angola-140568.html

 

 

HOMEM SE BATIZA NA PRÓPRIA IGREJA A QUAL TINHA "VANDALIZADO MESES ANTESI

Com raiva de Deus por causa da recaída nas drogas, Brenton Winn entrou na Igreja Batista Central de Conway, em Arkansas (EUA) e destruiu mais de US$ 100 mil de equipamentos. Seis meses depois, ele estava sendo batizado no mesmo local pelo pastor da denominação.

“Quando comecei a entender como Deus trabalha, percebi que eu não escolhi a igreja naquela noite. Deus me escolheu”, disse Winn à Baptist Press. “Se houvesse alguma outra igreja, acho que estaria na prisão agora”.

Brenton, de 23 anos, cresceu em um lar cristão, mas se tornou viciado em metanfetamina na adolescência. “Desde os 16 anos até alguns meses atrás, minha vida não passava de caos, tentativas de suicídio e fracassos”.

Em 2016, Brenton entrou em um programa cristão de recuperação de duas semanas. Por um ano, ele ficou sem drogas e conseguiu um emprego em uma loja. Mas em setembro de 2017, seu primo cometeu suicídio e ele voltou ao vício. 

Em 28 de fevereiro de 2019, Brenton estava sem-teto e frustrado com Deus. Sob efeito de drogas, ele invadiu a igreja e destruiu itens como laptops, câmeras e outros aparelhos eletrônicos. 

Mesmo com o prejuízo, o pastor Don Chandler decidiu mostrar compaixão e conversou com o promotor responsável pela prisão do jovem. “Você não pode pregar algo por 50 anos sem praticar, especialmente na frente de toda a igreja”, disse Chandler. 

“Se não tivéssemos mostrado graça a ele, tudo o que conversamos teria sido em vão. Era simplesmente a coisa certa a se fazer. Este não era um criminoso endurecido. Era um jovem que havia cometido alguns erros. Ele estava sob efeito de drogas e álcool quando fez o que fez. Mas era alguém que poderia ser resgatado”, acrescentou o pastor.

Nas semanas seguintes, Chandler, o promotor e o advogado de Brenton discutiram a melhor forma de ajudar o jovem. O juiz do caso deu duas opções: Brenton poderia ir para a cadeia por 20 anos ou tratar seu vício no Renewal Ranch, uma casa de recuperação cristã. Ele escolheu a segunda opção.

Brenton se entregou a Cristo durante os estudos bíblicos no Renewal Ranch e decidiu ser batizado na Igreja Batista em um dos cultos de quarta-feira.

“Eu entreguei meu coração a Cristo naquela noite”, disse Brenton. “Eu pensava que era uma coincidência [entrar na igreja aquela noite], mas agora chamo de confirmação de que Deus é real, e Ele responde às orações. O que pesava no meu coração era que eu precisava de um relacionamento com Jesus Cristo”.

Brenton ainda precisa terminar o programa para evitar o tempo de prisão. Depois de concluir o programa, ele ainda passará alguns anos em liberdade condicional.

“Estamos incentivando nossos membros a continuar orando por esse homem, porque sua história não acabou”, disse o pastor Mike Lefler, que realizou o batismo do jovem. “E isso é uma verdade para todos nós. Deus ainda está escrevendo uma bela história de graça em nossas vidas”.

 

Fonte: Guia-me

Templo Satânico adota aborto como ritual religioso e oferece sorteio da prática

Fundado em 2012, o Templo Satânico (TST, sigla em inglês) localizado na cidade de Salem, em Massachusetts, Estados Unidos, está anunciando um sorteio da prática do aborto, o qual foi adotado pelos adoradores do demônio como uma espécie de ritual religioso.

“O TST baseia suas afirmações de isenções de permissão de aborto nas proteções fornecidas por Leis Estaduais de Restauração da Liberdade Religiosa ou RFRA, que geralmente proíbem o governo de interferir substancialmente no livre exercício religioso de uma pessoa”, disse o Templo Satânico em um comunicado à imprensa.

Em outras palavras, os satanistas dizem que ao promover a prática do aborto, estão resguardados pela garantia constitucional da “liberdade religiosa” em seu país. Essa promoção é feita através do oferecimento do aborto através de métodos específicos, como o cirúrgico.

Segundo o Templo Satânico, a pessoa que desejar realizar o aborto por intermédio da entidade, não precisará enfrentar uma série de exigências legais, como aconselhamento e leituras diversas, uma vez que através deles a prática é vista como um ritual religioso, facilitando então o procedimento.

Para os adoradores de Satanás, a morte de bebês no ventre materno é uma “experiência espiritual destinada a incutir confiança e autoestima de acordo com as crenças religiosas do TST”, segundo informações da CBN News.

Efeitos espirituais e psicológicos

A prática do aborto não é apenas um pecado contra Deus, segundo a Bíblia Sagrada, mas também um procedimento capaz de deixar sequelas profundas no emocional das mulheres que fazem isso, segundo a psicóloga Marisa Lobo.

“Quando uma mulher provoca aborto, os traumas criados são pela culpa de ter tirado a vida de um ser inocente, que ela entende como tal, e não do procedimento em si. Não será legalizando este ato que a mulher vai se sentir menos culpada. Essa culpa vai depender da história de vida dessa mulher, de seus valores e princípios, não do procedimento em si”, afirmou Marisa ao Guiame.

A psiquiatra e psicanalista Gilda Paoliello também falou sobre os efeitos colaterais do aborto no emocional das mulheres, destacando reações que podem ser desencadeadas após a prática traumática.

“Elas [mulheres que abortam] vivem também o transtorno de estresse pós-traumático, com vivências de flashbacks do ato do aborto, vivências persecutórias e ideação suicida em torno de 40% dos casos”, afirmou Gilda, segundo o Estado de Minas.

“Muitas vezes, o sentimento de culpa compromete indelevelmente a vida afetiva da mulher, provocando ‘gravidezes de substituição’, com prejuízo nas ligações maternas posteriores”, conclui.

Fonte: Gospel Mais https://noticias.gospelmais.com.br/templo-satanico-adota-aborto-como-ritual-religioso-e-oferece-sorteio-da-pratica.html

"Deus me deixou ficar na prisão, porque queria milhões orando pela Turquia", diz pastor

O pastor Andrew Brunson  disse preferir que Fetullah Gülen disse em depoimento recente à mídia norte-americana que sua prisão e seu sofrimento na Turquia não foram em vão, mas sim tiveram um propósito maior: o bem da própria Turquia e dos cristãos daquela nação.

Brunson disse ao jornal turco Hürriyet que se dependesse dele, Gülen — o prisioneiro turco que estava sendo mantido nos EUA, acusado de terrorismo — já teria sido extratitado para a Turquia. O governo de Recep Tayyip Erdoğan chegou usar o nome de Gülen várias vezes como uma "moeda de troca" para libertar Brunson. Porém, autoridades americanas lhe explicaram que isto não seria bom para a imagem dos EUA.

O líder cristão relatou que o senador Lindsey Graham o visitou na prisão e disse o parlamentar levava uma mensagem do presidente dos EUA, Donald  Trump, que os EUA pretendiam levar o pastor de volta para seu país, mas de uma forma mais apropriada do que uma permuta.

"Queremos que você volte para a América, mas temos que seguir o caminho certo. Nenhuma troca por você. Se fizermos algo assim, seria um mau precedente e os americanos ao redor do mundo estariam em risco. Qualquer regime pode se referir a este método para nos fazer", disse o senador, segundo Brunson.

Brunson comentou uma das acusações que o levaram à prisão, devido a ligações infundadas com a tentativa de golpe fracassada de 2016. Uma das provas foi uma mensagem de texto na qual ele falava sobre "a Turquia ser abalada".

"Estávamos esperando algo que abalasse os turcos", disse o pastor, acrescentando que ele estava se referindo à "vontade de Deus" que abalará seu povo que se separa das "coisas espirituais".

"Nós estávamos esperando essas coisas. Eu costumava dizer isso em meus sermões. Deus permite que os alicerces nos quais confiamos sejam abalados, então assim vamos olhar para Ele. Pode ser o mercado de ações ou a turbulência política. Nós, como povo, estamos relaxados. Mas sempre que o mercado de ações cai e enfrentamos uma crise econômica, começamos a orar. Isso era o que estava dizendo para a Turquia", disse ele.

Propósito

Brunson disse que não estava arrependido de ir à Turquia. "Deus me deixou permanecer na prisão porque queria milhões orando pela Turquia".

De fato, o efeito de sua permanência na prisão foi uma crise econômica na Turquia, devido a sanções impostas pelos EUA. As correntes de oração que já eram inúmeras, espalhadas por todo o mundo, só aumentaram, intercedendo pela vida de Brunson e pela situação daquela nação.

"Para mim, Deus usará minha dor em favor da Turquia, usará isso para abençoar a Turquia. Eu quero que Deus use o presidente [Recep Tayyip] Erdoğan. Ele é o líder da Turquia, mesmo que não gostem dele, Deus o usará para abençoar a Turquia, trazer sabedoria e justiça", afirmou ele.

Brunson foi condenado a mais de três anos de prisão por terrorismo e acusações de espionagem em 12 de outubro. Mas ele conseguiu voltar para casa depois que a corte decidiu suspender sua prisão domiciliar e proibir a viagem.

Ele foi libertado devido ao tempo passado atrás das grades e sob prisão domiciliar, dois anos e três meses.

Fonte: Guia-me  https://guiame.com.br/gospel/missoes-acao-social/deus-me-deixou-ficar-na-prisao-porque-queria-milhoes-orando-pela-turquia-diz-pastor.html


Bingo sites http://gbetting.co.uk/bingo with sign up bonuses