02262018Seg
Última atualizaçãoSex, 16 Fev 2018

slot


Paulo César Baruk assina contrato com Musile Records

O final de 2016 tem apresentado grandes surpresas para o cenário musical cristão no Brasil. E para elencar mais uma, o cantor Paulo Cesar Baruk, que tinha seus discos distribuídos pela Sony Music Gospel, agora assinou um contrato com a Musile Records (a mesma de Heloisa Rosa).

O cantor inicia uma parceria com a gravadora reconhecida pela qualidade e compromisso “em promover a verdadeira mensagem do evangelho”, como ressalta a assessoria. Sua entrada na nova casa já começa com bastantes atividades.

É que Baruk, um dos principais representantes da música cristã da atualidade, irá gravar nos dias 15 e 16 de dezembro o álbum Piano e Voz, Amigos e Pertences 2, no Teatro Ruy Barbosa da Universidade Mackenzie, em São Paulo (SP).

O novo trabalho segue a mesma característica do volume 1, trazendo grandes clássicos da música cristã interpretadas no formato acústico. O lançamento acontece já no primeiro semestre de 2017, com o selo Musile Records.

O diretor Ricardo Carreras comentou sobre a novidade. "A vida reserva grandes alegrias e este momento é uma delas. Já contamos com diversas participações do Paulo César Baruk em trabalhos anteriores da gravadora, mas agora temos a satisfação de produzir este projeto exclusivamente dele”, disse.

O cantor também se expressou. “Estou feliz e grato por ser tão bem recebido na Musile Records . Que o Senhor nos conceda um tempo precioso, de comunhão, crescimento e, acima de tudo, frutos para o Reino”, publicou em sua fanpage oficial.

Sobre o cantor

Paulo César Baruk tem se destacado bastante no cenário musical, conquistando cada vez mais admiradores. São pessoas que se identificam com a alegria que reside no coração deste adorador e também se impressionam com sua inegável musicalidade.

Baruk começou na música ainda adolescente, integrando corais, bandas e orquestras como instrumentista. Aos 18 anos já gravava em estúdio fazendo backing vocal em vários CDs. Com bastante carisma, uma bela voz e muita sensibilidade, Baruk caminhou naturalmente para uma carreira solo.

Versatilidade, poesia, interpretações mergulhadas em sentimento, baladas inspiradoras e som contagiante são alguns dos ingredientes contidos em seus trabalhos realizados no decorrer da carreira.

Fonte: Guia-me

Anderson Freire ganha o Grammy Latino

O cantor e compositor Anderson Freire foi premiado durante a cerimônia do 17º Grammy Latino. O álbum Deus não Te Rejeita, lançado pelo intérprete em junho deste ano, venceu o prêmio de Melhor Álbum de Música Cristã em Língua Portuguesa.

O disco competia com mais quatro a vitória. Os concorrentes eram Paulo César Baruk (Graça Quase Acústico {rs}), Adelso Freire (Reaprender), Fábio de Melo (Deus no Esconderijo do Verso ao Vivo) e Ceremonya (A Vida Num Segundo).

“Muito obrigado, minha gravadora! Muito obrigado a todos os membros da Academia Latina de música que votaram! Tudo é feito com um propósito debaixo da vontade de Deus. Pois a minha vida é do Senhor Jesus!!!”, publicou o cantor em sua página no Facebook.

Produção

Lançado em 9 de junho de 2016, o novo álbum de Anderson Freire foi distribuído pela MK Music e conta com a participação da cantora Nívea Soares na música “Sonhador”. Todas as composições são autorais e a produção recebeu arranjos de cordas gravadas em São Petersburgo, na Rússia.

Na gravação, o cantor atuou como produtor musical ao lado de seu irmão Adelso Freire e Stéfano de Moraes. Além deles, participaram músicos como Leonardo Reis (bateria), Henrique Garcia (violão e guitarra) e Charles Martins (baixo).

 

 

Fonte: Folha Gospel

 

Música gospel é carreira ou ministério? Veja a opinião de Baruk, PG e Daniela Araújo

Na última segunda-feira (17) a Festa Nacional da Música promoveu um debate sobre dois assuntos. O primeiro foi "A nova Música Cristã: De onde viemos, para onde iremos?" e contou com a presença de do cantor Paulo Cesar Baruk, Pastor Lucas, Alomara (MK Music), Renata Cenízio (Universal Music Christian Group), Eli Soares, PG e Cláudia Fonte (Som Livre).

“Eu sou pastor de jovens da minha igreja e a gente precisa entender que quem dita o mercado cristão é a igreja. A igreja é a ponte. Há pouco tempo atrás era ruim você falar que era um cantor. Você tinha de dizer que era um adorador. O adorador não necessariamente canta, todo cristão tem que ser adorador. Agora já tá ficando chato falar que é adorador. Parece que tem uma arrogância em dizer que é adorador agora”, opinou o Pastor Lucas.

Já o cantor PG comentou sobre o posicionamento da igreja sobre a diversão. “Eu acho que a igreja não entende que a diversão também faz parte da igreja. As pessoas acham que diversão está no mundo. Você assiste um filme da Marvel, mas quando você fala de diversão na igreja é pecado. A gente tem que tomar cuidado com isso. O pecado é aquilo que você é e o que você faz. Se o seu caráter não é transformado, a gente coloca tudo na mesma panela. Todo mundo vai errar um dia, mas o problema é que você acha que o erro do outro compensa o de todo mundo e todo mundo está no mesmo erro”, disse.

Ministério ou Carreira?

Já no segundo debate, com o tema “Cantor Gospel tem carreira ou Ministério?”, contou com a presença de outros artistas como Clóvis Pinho e Weslei Santos, ambos do projeto Preto no Branco, Daniela Araújo e Fábio Sampaio, vocalista da banda Tanlan.

O primeiro a se colocar foi Fábio que pontuou que é possível sim um cantor cristão ter carreira. “Acho que ficou bem claro aqui que tem carreira. Alguém ficou com dúvida nisso? Todo mundo quando se referiu a sua própria história, falou ‘a minha carreira’ e carreira nada mais é que uma história profissional que a gente tem. No seu trabalho você pensa no seu plano de carreira. Você quer ter um crescimento. Na história da música, não muda nada isso”, disse.

Já Paulo Cesar Baruk disse que às vezes os dois não se conciliam. “Ministério e profissão às vezes se conciliam. Não sei se todas as vezes. A gente pode tornar em ministério, já que a ideia do serviço é um ministério, tudo o que a gente faz na vida”, disse.

“Então , o medico exerce seu ministério na medicina e enfim. Eu enxergo de verdade, além dessas limitações, de que ministério tem haver com quem pega o microfone nas mãos. O ministério tem haver com quem se dispõe em chegar na necessidade do outro como sua prioridade de vida”, pontuou.

Logo após, Daniela Araújo se pronunciou. “Ficou bem claro para todo mundo que cada caso é um caso. No nosso caso, que cantamos profissionalmente, nos temos o ministério e carreira. Mas, muitas vezes a gente não sabe, não tem como julgar, não tem como saber quem realmente tem um ministério, quem realmente tem uma carreira”, colocou.

“A gente realmente tem apenas que ser verdadeiros, porque é uma carreira e é um ministério. É isso o que eu penso”, disse.

Já o cantor Geraldo Guimaraes ressaltou que existem pessoas que usam o termo “ministério” sem ser na verdade. “Eu acho que dentro da nossa caminhada, o nosso ministério pode estar estabelecido e bem definido. A nossa caminhada ministerial não concorre com aquilo que pode ser chamado de carreira. Existe uma arte sendo desenvolvida e existe um ministério sendo estabelecido”, disse.

“Muitas vezes usam o ministério mesmo não acontecendo esse ministério. Eu fico mais preocupado não em evitar usar o termo ‘carreira’, mas fico preocupado em chamar de ministério aquilo que não serve a Deus”, pontuou.

Clóvis Pinho do Preto no Branco, que já fez parte do grupo Renascer Praise, também opinou sobre o assunto. “Parece que é óbvio e chega a ser redundante. Porque eu posso além de ter uma carreira, eu posso ter uma carreira ministerial. Porque carreira é a sua trajetória profissional. Se trata de uma trajetória profissional que você constrói. Que você pode ter sucesso ou não. Ministério é algo que já nasce com um sucesso”, comentou.

Fonte: Guia-me e Felicidade Gospel

 


Bingo sites http://gbetting.co.uk/bingo with sign up bonuses