09202020Dom
Última atualizaçãoSex, 14 Ago 2020

slot

Notícias

Feiticeiro é curado após oração de pastor em supermercado

Estar sempre atento às oportunidades de compartilhar a mensagem do Evangelho e o que Jesus pode fazer. Parece que este lema acompanha muitos evangelistas, como por exemplo Todd  White, que tem o costume de registrar seu cotidiano em vídeos e acaba mostrando que as chances de falar do amor de Cristo e orar pelas pessoas aparecem diversas vezes ao dia.

Em um de seus vídeos recentes, ele contou que em uma de suas viagens para pregar em outra igreja, suas malas foram extraviadas e ele e seu parceiro de ministério precisaram ir a um supermercado para comprar algumas coisas, até que sua bagagem chegasse ao hotel.

Assista

Todd seguiu para um mercado próximo, para comprar as coisas que precisava e, ao pedir ajuda a um funcionário, percebeu que o homem andava com certa dificuldade. Então sentiu que devia orar por ele.

"Antes dele ir embora, eu perguntei: 'ei, cara... como estão suas costas? Seu corpo? Seus joelhos, tem algo de errado?", contou.

O funcionário respondeu que o pé direito dele doía muito e ele já convivia com esta dor há bastante tempo.

Então Todd pediu para orar pela cura daquele homem, para que o pé dele parasse de doer.

"Não me ache louco, deixe-me orar pelo seu pé", pediu o evangelista.

Quando começou a sentir seu pé sendo curado, o funcionário disse que aquilo era "estranho", mas Todd respondeu que quem estava fazendo aquilo era Jesus.

Ainda impressionado com tudo aquilo, o funcionário chamou um de seus colegas para ver o que aconteceu, e este colega também disse que tinha um problema no pé. Então Todd orou por ele e ele também foi curado.

Todd voltou ao primeiro funcionário por quem ele orou e descobriu que ele mexia com bruxaria (era adepto da seita 'Wicca') e então o evangelista orou pelo rapaz.

"Nós não devemos nos sentir ameaçados pela bruxaria. Nós carregamos a luz. Você não deve se sentir ameaçado pela escuridão", disse Todd ao comentar o ocorrido.

Todd contou que o rapaz não se entregou a Jesus ali, naquele exato momento, mas acredita firmemente que que ele não se esquecerá da cura que recebeu naquele dia e que foi Jesus quem o curou.

"Nós plantamos, regamos, mas Deus é quem traz o crescimento. Deus é quem pode salvar, nós somos apenas seus vasos", destacou.

Fonte: Guia-me


Perlla deixa carreira gospel e anuncia retorno ao funk e à música pop

A cantora Perlla afirmou ao jornal Extra que está desistindo de sua carreira como cantora gospel e que irá retornar ao mercado secular.

“Quero voltar a levar minha alegria para as pessoas. Antes, eu estava em outra vibe, com outros pensamentos, imaginava que não dava para conciliar a minha religião com essa carreira artística, mas descobri que posso continuar sendo a Perlla que eu sempre fui porque a saudade ficou”, disse ela.

Ao que parece, a participação da cantora no programa “Pagode do Gago” na Rádio FM O Dia fez com que ela percebesse que o público que ela abandonou sentiu sua falta e ainda gosta de sua música. A participação dela nessa atração, fez com que o pastor Otoni de Paula a impedisse de se apresentar em sua igreja.

Perlla frequenta hoje a Igreja Batista da Lagoinha na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, ministério liderado pelo casal Filippe e Mariana Valadão. Ela continuará frequentando a igreja, mas não seguirá mais como cantora gospel.

“Fiquei um tempo dedicada a minha família, mas decidi que agora, com minhas filhas maiores, é o momento de voltar”, declarou ela que é casada com o músico Cássio Castilhol, com quem tem duas filhas: Pérola, de 5 anos, e Pietra, de 4.

Estilo musical não definido

Perlla não usará mais o MC na frente de seu nome e prefere não rotular o estilo musical que irá seguir. “Com relação a minha música, eu nunca gostei de rotular”.

A cantora sabe que abriu as portas para que cantoras de funk melody surgissem e acredita que foi influência para cantoras como Anitta e Ludmilla. “Se perguntarem para elas [Anitta e Ludmilla] se em algum momento ouviram as minhas canções, acho difícil não responderem que não fui uma inspiração. O que existe hoje foi porque eu deixei um caminho, uma estrada. Se elas seguem determinado estilo, foi porque passaram pelo meu som”, afirmou.

Cantora não se arrepende de seguir no gospel

Se hoje ela volta ao mercado secular, não se arrepende de ter se dedicado nesses últimos sete anos a meio gospel e pretende participar do ministério de louvor de sua igreja.

“Não me arrependo de nada que fiz. O tempo de amadurecimento em todas as áreas foi muito importante. E tive o apoio dos pastores da igreja para seguir. Eles disseram para eu levar minha alegria para as pessoas”, declarou ela.

Foram sete anos de ministério, onde Perlla chegou a lançar um CD pela Central Gospel Music com o título de “Minha Vida Mudou”. Com o fim do contrato com a gravadora, Perlla gravou mais um disco religioso o “Noite de Paz – Canções para Celebrar” pela Deckdisc e planejava um lançamento pela Mess Entretenimento.

Cantores que deixaram o gospel

Perlla não é a primeira cantora a deixar o gospel nos últimos anos. 

A decisão de Léo Brandão, por exemplo, tem repercutido fortemente nas redes sociais.

Imagem redimensionadaFãs do cantor lamentaram e pastores comentaram a decisão do jovem que agora deve seguir carreira como cantor sertanejo. Mas Léo também não é o primeiro a tomar essa decisão, outros artistas já fizeram isso e muitos outros ainda tomarão essa atitude.

Em janeiro deste ano o meio gospel se abalou com a decisão de Felipão de voltar a cantar forró no mercado secular. O cantor conquistou o público evangélico, gravou CDs, visitou inúmeras cidades do país se apresentando em igrejas e depois decidiu voltar para uma banda de forró.

Outro cantor que recentemente deixou o meio evangélico foi Pierre Onassis que ficou oito anos se dedicando à música gospel, mas em 2015 resolveu voltar para o grupo Afrodisíaco, que mistura reggae, axé e MPB.

No mercado internacional há dois nomes que recentemente chamaram a atenção da imprensa por fazer essa migração de gospel para secular. Entre eles a cantora Britt Nicole deixou seus fãs surpresos com essa decisão.

Na Suécia, a troca de mercado foi a decisão tomada por Jonathan Thulin que agora segue carreira secular com o nome de Andreas Moss.

Artistas pop começaram a cantar na igreja

No cenário pop temos inúmeros nomes de artistas que iniciaram a carreira cantando na igreja e foram parar no topo das paradas de sucessos no mercado secular. Separamos alguns desses nomes que hoje são artistas consagrados, mas que tiveram suas bases dentro das igrejas norte-americanas.

Eles são: Elvis Presley, Stevie Wonder, Whitney Houston, James Brown, Ray Charles, Katy Perry, Britney Spears e Chris Martin.

Fonte: JM Notícia e Folha Gospel

Cristãos são decapitados por não negarem a Jesus em novo ataque terrorista, no Quênia

Membros do grupo extremista Al Shabaad mataram 13 pessoas no último fim de semana, no litoral do Quênia. De acordo com um sobrevivente do ataque, os muçulmanos da aldeia do condado de Lamu ajudaram os militantes islâmicos a identificar locais onde os cristãos moravam. Em entrevista para o site Morning Star News, ele comentou que várias das vítimas foram decapitadas.

Os extremistas mataram quatro cristãos em Kipini, no domingo (9), não muito longe da floresta de Boni, esconderijo dos rebeldes do Al Shabaab, que por sua vez lutam contra o governo na Somália. No início da manhã de sábado, em Jima, eles mataram outros nove em ataques que começaram às 11h.

Na noite anterior, eles haviam matado outras pessoas com machados, decapitando suas vítimas, de acordo com as fontes locais. "Os cristãos foram obrigados a recitar os dogmas islâmicos e eles não podiam fazer isso. Então, foram mortos", disse uma fonte. "Nós pedimos ao governo que investigue e traga esses muçulmanos que estão abrigando os terroristas da Al Shabaab, porque os cristãos que foram decapitados eram fazendeiros", alertou.

Segurança

Aqueles que conseguiram fugir e sobreviver tiveram suas terras danificadas por animais selvagens e ainda estão em grande choque, acrescentou a fonte. "O governo reforçou a segurança na área e esperamos que as vítimas que fugiram possam retornar em breve, pois precisam de aconselhamento sobre traumas emocionais", afirmou.

Os cristãos da região deixaram suas aldeias. "Agora estamos residindo na delegacia de polícia em hindi, por medo de novos ataques", disse um residente da área ao Morning Star News. Muitas pessoas da área ainda estão desaparecidas e temem que o número de vítimas possa aumentar.

Grave crise

Duas outras fontes no condado de Lamu disseram que os cristãos na região costeira do Quênia estão em grave crise à medida que enfrentam escassez de alimentos depois de fugir de suas fazendas. O secretário do Interior, Fred Matiang'i, impôs um toque de recolher de três meses nos condados de Lamu, Tana River e Garissa, em uma tentativa de combater os ataques da Al Shabaab. A medida começou no domingo (9) e estará em vigor até o dia 9 de outubro.

Os rebeldes da Al Shabaab, grupo aliado à Al Qaeda, lançaram vários ataques no nordeste do Quênia, uma vez que as forças do Quênia lideraram uma união africana na Somália contra os rebeldes, em outubro de 2011 em resposta a ataques terroristas contra turistas e outros na costa da região. Os ataques aos cristãos também continuaram. O Quênia ocupa hoje o 18º lugar na lista de perseguição religiosa do Ministério Portas Abertas.

Fonte: Guia-me

Missionário se recusa a deixar comando de hospital no Iraque: "Deus está trabalhando"

Durante sete anos bastante tumultuados, Matthew Nowery foi sustentado por sua incrível fé, enquanto trabalhava na organização  cristã Samaritan's Purse, no norte do Iraque. Ele que antes atuava para curar o terrível dano causado pelo Estado  Islâmico, desde que invadiram Mosul em 2014, agora foi promovido para diretor nacional do projeto no Iraque. Atualmente, Matthew vive em Erbil com sua esposa, Sarah e seus filhos, Ezra e Macy.

Não é uma vida fácil. Matthew, que se juntou à organização em 2005 e passou cinco anos trabalhando com a Igreja perseguida no Sudão, pesquisando e documentando as atrocidades cometidas contra os cristãos pelo governo do norte, diz agora que se apaixonou pelo povo iraquiano. "Embora não entendamos por que essa mágoa aconteceu, sabemos que Jesus os conhece e os ama. É difícil. É um lugar extremamente difícil de trabalhar”, compartilhou.

Seria bem difícil de imaginar como Matthew teria sobrevivido no trabalho sem sua fé inspiradora. "Nossa família está envolvida com o povo do Iraque há quase oito anos, e temos visto que o que Jesus faz neste país é sem precedentes. Temos visto a mão de Deus trabalhar de forma inexplicável. Embora seja difícil, somos chamados e Deus está nos permitindo o privilégio de ser luz aqui. É um lugar extremamente difícil de trabalhar, mas vou dizer que os pontos positivos ultrapassam os negativos”, contou.

Comprometidos

“Minha esposa e eu não trocamos isso por nada. Estamos comprometidos em permanecer e ajudar enquanto Deus nos permitir". Apesar de Mosul ter sido liberto das forças do Estado Islâmico, segundo os oficiais do Iraque, a região permanece em estado de desespero. "Haverá um pensamento de que agora que Mosul foi declarado livre e que a guerra acabou, as pessoas vão voltar sua atenção para outro foco. Eu só quero lembrar a todos que os iraquianos precisam da nossa ajuda agora mais do que nunca", diz o missionário.

"Muitos, se não a maioria dos cristãos, não podem voltar para casa, porque suas casas não estão lá, e seria uma tragédia se afastar. Quero, por favor, lembrar a todos o quão importante é esse trabalho agora", alertou.

Cerca de 80 mil refugiados cristãos iraquianos fugiram de Mosul e da planície de Nínive sob ameaça de conversão ou execução forçada, quando os cristãos iraquianos foram expulsos de suas casas pelo avanço do Estado Islâmico no verão de 2014. Agora, o governo do Iraque declarou Mosul livre do grupo terrorista, mas, como Matthew explicou por telefone para o site Christian Today, no terreno "ainda há ataques aéreos do EI" causando grandes danos.

Fonte: Guia-me

40 anos da Igreja Universal: Edir Macedo diz qual o segredo do sucesso

Há 40 anos, no dia 9 de julho de 1977, em um sábado, um pastor de 32 anos liderava o primeiro culto da Igreja Universal do Reino de Deus. O nome do pastor, Edir Macedo, o local era um galpão de uma antiga funerária no subúrbio do Rio, preenchido por bancos de madeira "comprados em prestações a perder de vista", segundo Macedo em sua autobiografia "Nada a Perder".

A perder de vista, nas décadas seguintes, era o empenho da Universal em erguer seu império num país onde a expansão evangélica veio a galope. Naquele 1977, nove em dez brasileiros se diziam católicos, e cerca de 6%, evangélicos. Corta para 2017: o primeiro grupo despencou para 50%, enquanto o segmento de Macedo quintuplicou para 30%, segundo pesquisa Datafolha.

A Universal percorreu um longo caminho do suado começo na periferia à chegada ao metro quadrado mais caro do país, com a abertura em abril de uma sede no Leblon –"lugar onde sempre sonhamos entrar e nunca conseguimos, mas para o nosso Deus nada é impossível!!!", como definiu um convite virtual para a inauguração.

O Reino de Deus hoje, em estimativas da igreja: 320 bispos e 14 mil pastores em ação (para comparar, há 24 mil padres assessorando 103 milhões de católicos). Essa trupe conduz 7.157 templos para 7 milhões de seguidores no Brasil. Outros 2.857 estão à disposição de dois milhões de fiéis em mais de cem nações, da Rússia aos Emirados Árabes.

O que também multiplicou foi a vontade interna de "desconstruir a imagem caricata do cristão associada à pessoa fanática, imersa em dogmas e preconceitos", diz o professor de sociologia da USP Ricardo Mariano. "A Universal tem se reinventado como organização cristã focada na autoajuda e no empreendedorismo."

Vide o lançamento, em 2013, da campanha "Eu Sou a Universal", que "representa o cristão batalhador e confiante, uma 'pessoa independente' e com 'opinião própria'", afirma Mariano sobre a peça publicitária que traz do sushi chef Matsumoto ao surfista Piruca.

Para Mariano, "a campanha procurou dissociar a imagem da igreja à dos estratos de baixa renda e escolaridade, por meio de fiéis com perfis de classe média bem-sucedidos profissionalmente, ocupando variadas posições na sociedade".

A autoajuda transborda em projetos como Godllywood. Sob guarda de Cris Cardoso, filha de Macedo, o grupo de mulheres evangélicas se insurge contra "os valores errados que a nossa sociedade tem adquirido através de Hollywood".

"Historicamente, as igrejas evangélicas atingiram mais significativamente as classes D e E. Com a ascensão social dos últimos anos, boa parte do público da Universal é a classe C", diz o pesquisador da Unicamp Carlos Gutierrez, autor de uma tese sobre a igreja.

"Muitos atribuem a transformação em suas vidas à fé evangélica. Diversas igrejas têm adotado linguagem não necessariamente religiosa, mas sim pautada em saberes como motivação empresarial, manuais de administração etc. Assim, cultos tornam-se 'palestras' e 'terapias'", afirma.

Em "Deus, o Demônio e o Homem: A Igreja Universal do Reino de Deus", coescrito com o teólogo sueco Anders Ruuth, o antropólogo Donizete Rodrigues vale-se do conceito de "igreja de supermercado", extraído da sociologia do francês Pierre Bourdieu. "A religião é bem de consumo num altamente competitivo mercado simbólico-religioso, daí o eficiente marketing da Universal", afirma Rodrigues.

O poder da igreja tem dois poderosos troncos. Um deles é o midiático, com a compra da Record em 1989. Macedo lembrou da transação em seu blog: "O representante de Silvio [Santos, então sócio da emissora] disse o valor. Respondi na fé: 'Não tem problema. Negócio fechado!'".

"Mais recentemente, as novelas bíblicas da Record têm criado um espaço que visam se opor à dramaturgia de outros canais", diz a professora da UFPR Karina Belloti, que estuda evangélicos e mídia. Campeã de audiência, "Dez Mandamentos" virou filme homônimo, que ultrapassou "Tropa de Elite 2" como maior bilheteria do cinema nacional.

Outro braço é o político, com o PRB. A Universal nega vínculo com o partido, que contudo tem vários bispos licenciados em seu alto escalão e emplacou na Prefeitura do Rio um deles, Marcelo Crivella, sobrinho de Macedo e ex-ministro de Dilma Rousseff.

Em "Plano de Poder" (2008), Macedo diz que "a potencialidade numérica dos evangélicos como eleitores pode decidir qualquer pleito eletivo". No livro, o bispo defende que apenas um presidente evangélico poderia criar um Estado laico, "sem privilégios à Igreja Católica", destaca o pesquisador Carlos Gutierrez.

Para a igreja, a expansão assusta e faz dela alvo de uma campanha difamatória amplificada pelas redes sociais. A Universal chegou a criar um blog para desbaratar "fraudes sórdidas". Algumas: pastores ungem vassouras para vender, uma campanha ataca a crença dos católicos na hóstia, o "pão do mal", e a prefeitura de Crivella financia a cinebiografia do tio Macedo.

O segredo do sucesso

Em artigo publicado no jornal Folha de São Paulo, neste domingo, 9 de julho, o fundador da Igreja Universal diz que naquele 9 de julho de 1977, de dentro de uma antiga funerária no subúrbio do Rio de Janeiro, quando pregava para algumas poucas pessoas que ali compareciam, ninguém poderia imaginar que estavam iniciando um dos maiores movimentos de fé e de solidariedade que, rapidamente, ganharia o Brasil e se espalharia pelo mundo.

Segundo Edir Macedo, a Universal enfrentou preconceitos e injustiças, lutou contra tentativas de cerceamento praticadas por quem não aceita que é o homem que escolhe a fé que atende a suas aspirações, não a fé ou igreja que escolhem o homem. Diz ainda que a igreja estimula seus 9 milhões de fiéis para que busquem o sucesso profissional e o conforto material que merecem.

Confira abaixo, a íntegra do artigo de Edir Macedo:

O segredo da Universal
Qual é o segredo do sucesso da Igreja Universal do Reino de Deus? Essa é uma das perguntas que mais ouvi nos últimos 40 anos.

Imagem redimensionadaEm 9 de julho de 1977, de dentro de uma antiga funerária no subúrbio do Rio de Janeiro, quando pregava para algumas poucas pessoas que ali compareciam, ninguém poderia imaginar que estávamos iniciando um dos maiores movimentos de fé e de solidariedade que, rapidamente, ganharia o Brasil e se espalharia pelo mundo.

Enfrentamos preconceitos e injustiças. Lutamos contra tentativas de cerceamento praticadas por quem não aceita que é o homem que escolhe a fé que atende a suas aspirações, não a fé ou igreja que escolhem o homem.
Por outro lado, parte dos nossos agressores talvez não conheça o verdadeiro trabalho da Universal e o resultado dele na vida das pessoas.

Por exemplo, no estímulo aos nossos 9 milhões de fiéis para que busquem o sucesso profissional e o conforto material que merecem.

Nossos 7.157 templos e catedrais instalados em todos os Estados e no Distrito Federal e nossas 2.857 igrejas no exterior são campo fértil para encontrar gente que se reencontrou com a vida e hoje prospera.
Na união de homens e mulheres solitários, ajudamos na busca do verdadeiro amor que estabelece casais e forma famílias, por intermédio da Terapia do Amor.

Resgatamos dependentes do inferno do vício. Somente em 2016, foram mais de 55 mil auxiliados por nosso programa Vício Tem Cura.

Acolhemos moradores de rua, em um total de 560 mil atendimentos por ano, em nossos "Anjos da Madrugada". Ressocializamos detentos em todo o Brasil. Entre os presos e seus familiares, fazemos mais de 837 mil atendimentos por ano pelo programa social Universal nos Presídios.

Amparamos 56 mil mulheres vítimas da violência doméstica com nosso programa Raabe.

Mobilizamos milhões de jovens carentes ou sem perspectiva na busca de um futuro como cidadãos de bem com a Força Jovem Universal.

Ofertamos afeto e atenção a 386 mil idosos abandonados por suas famílias com o programa Calebe.

A força para realizar tanto vem de uma só fonte: da Palavra.

Os professores, verdadeiros esteios de nossa sociedade, sabem o quanto suas palavras e ações podem afetar seus alunos.

Assim formam médicos, que exercem a arte da cura; forjam engenheiros nas mais variadas vertentes; arquitetos que projetam casas, pontes e cidades.

As palavras dos professores também concebem políticos e governantes que criam, fiscalizam e executam leis para beneficiar a população.

Mas se a palavra de um professor forma aqueles que desenvolverão nações e feitos incríveis, o que dizer da Palavra de Deus, do que Ela pode fazer na vida daqueles que A praticam?

Essa Palavra nunca volta vazia. Ela se cumpre, exatamente como está escrito, independentemente da passagem do tempo. Ela é eficaz.

Pois bem: é por causa d'Ela que a Universal trabalha. E é por isso que tem superado todo tipo de adversidade e chegou até aqui com relativo sucesso.

Sucesso por ter atravessado fronteiras, superando barreiras de diferentes línguas, costumes, culturas, religiões, sociedades ultraconservadoras e muito mais.

O êxito, no entanto, é relativo. Ainda há muito o que se fazer para divulgar essa Palavra mundo afora. E esse é o nosso principal foco.

Essa Palavra é o poder das Sagradas Escrituras fluindo como o vento do Espírito na transformação de vidas recuperadas em todos os sentidos. A Palavra de Deus é a razão para termos chegado até aqui. E é por causa dela que temos a certeza de que vamos atingir muito mais.

Aos 40 anos de existência, nós, da Universal, dedicamos tudo isso a Deus e à Sua Palavra.

Estamos firmes na certeza, absoluta, de que o Céu e a Terra passarão, mas as Palavras do Altíssimo não hão de passar (Mateus 24:35).

BISPO EDIR MACEDO BEZERRA é líder espiritual e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus


Fonte: Folha de São Paulo e Folha Gospel


Bingo sites http://gbetting.co.uk/bingo with sign up bonuses