01292022Sab
Última atualizaçãoSeg, 04 Out 2021

slot

Missões

Natal: há 18 anos, missionário brasileiro organiza festa com jantar para moradores de rua

Os trabalhos sociais realizados por missionários mundo afora são essenciais para muitas comunidades carentes, que de outra forma, não teriam assistência social e um mínimo de dignidade. Mesmo em países ricos, como nos Estados Unidos, os trabalhos de apoio a pessoas em condições de vulnerabilidade social desenvolvidos por cristãos ainda se mostram decisivos.

O brasileiro Tony Pádua, missionário em Miami, Flórida, se dedica há 18 anos a realizar uma festa de Natal para os moradores de rua da cidade.

Em entrevista ao portal AcheiUSA, dedicado à comunidade brasileira nos Estados Unidos, o missionário revelou que a festa que ele organiza anualmente atente aproximadamente 500 moradores de rua que vivem no centro de Miami.

De acordo com Pádua, essa “é a época em que eles [moradores de rua] ficam mais deprimidos”, pois o clima festivo inevitavelmente remete à ausência da família e a falta de um lar.

No entanto, o trabalho de Pádua não se resume às festas de Natal. Semanalmente, às quintas-feiras, o projeto social/missionário liderado por ele serve uma macarronada, com três tipos de molho, para pessoas que vivem no abrigo Camillus House.

A edição 2015 da festa de Natal para os moradores de rua será realizada na próxima quinta-feira, 17 de dezembro. Com o auxílio de sua esposa, Janete, Pádua preparou 500 kits para doar aos moradores de rua. Os itens inclusos são uma mochila, uma camisa, um cobertor, uma caixa de chocolate, material de higiene pessoal e um cartão com uma oração.

“Deus quem me dá forças para todos os anos ajudar essas pessoas que não têm família, têm problemas com álcool e vivem à própria sorte”, afirmou Pádua. No jantar, o projeto social vai servir arroz, pernil, tender, vegetais e frango.

Os ingredientes somam 145 kg de carne, 60 pacotes de frango pré-cozidos, dezenas de Kg de arroz e vegetais. “Começamos atendendo na rua mesmo, depois no Camillu’s House, em Downtown [centro de Miami], que é uma entidade muito tradicional em ajuda aos pobres. Nunca paramos, todas as quintas feiras da minha vida estou preparado para cumprir essa missão. No final do ano fazemos uma grande festa sempre na época do Natal com a colaboração da comunidade”, destacou.

Após 18 anos desenvolvendo o mesmo trabalho, Pádua explica o que o continua motivando: “Toda semana é um sentimento diferente, um sentimento positivo. Por mais que eu dou, o que eu recebo é muito maior. Somos missionários”, conclui.

 

Fonte: G+


Cristãos são soltos no Irã após três anos de prisão

A ONG Middle East Concern informou que três cristãos que estavam presos na cidade de Shiraz, no Irã, foram soltos. Mehdi Ameruni, Seyed Bijan Farokhpour Haghigi e Eskander Rezai foram presos em outubro de 2012 durante uma reunião de oração e ficaram todos esses anos na prisão sob acusação de ‘ação contra a segurança nacional’ e ‘propaganda contra a ordem do sistema’.

Eles estavam acompanhados de outras quatro pessoas, mas apenas os três homens permaneceram presos e receberam penas de mais de um a três anos de prisão. Agora eles saíram sobre licença temporária, mas a ONG acredita que eles não retornarão mais à prisão.

agência cristã de notícias Mohabat News também defende a que eles não voltarão para a prisão alegando que o governo iraniano está propondo a liberação temporária aos cristãos e exigindo que eles deixem o país.

No Irã muitos cristãos estão presos, tanto pastores como membros de igrejas que não aceitam negar a Cristo. As prisões acontecem muitas vezes dentro das igrejas ou das casas onde os religiosos se encontram para dividir mensagens da Bíblia ou para orar.

A Portas Abertas, que acompanha os cristãos perseguidos em todo o mundo, pede oração para que esses irmãos permaneçam firmes na fé diante de tanta perseguição.

Fonte: Prime

Pais perdem guarda dos 5 filhos por ensinarem cristianismo em casa

Uma polêmica na Noruega está chamando atenção pelo inusitado. O casal formado pelo romeno Marius Bodnariu, e a norueguesa Ruth, têm cinco filhos, sendo três meninos e duas meninas. Um deles é bebê de colo e ainda mama. Uma denúncia foi encaminhada ao serviço social do país que retirou deles a guarda das crianças, alegando “radicalização e doutrinação cristã”.

No dia 16 de novembro, as assistentes sociais retiraram os dois filhos mais velhos da escola sem o conhecimento dos pais. Em seguida, chegaram acompanhados da polícia na casa da família e levaram os outros dois. Deixaram apenas o bebê com a mãe. No dia seguinte, após tentarem, sem sucesso, resolver a situação na delegacia de polícia local, o casal foi obrigado a entrega-lo também.

Uma petição on-line pedindo o retorno das crianças foi assinada por mais de 29.000 pessoas. O caso chamou atenção por que a Europa está testemunhando diferentes protestos de pessoas que não querem a chegada de imigrantes muçulmanos no país, pois isso levaria a uma imposição de regras jihadistas. O discurso do politicamente correto predomina, afirmando que deve se respeitar as diferenças culturais.

Na página que pede que o governo devolva as crianças aos pais, o irmão de Marius é o pastor da igreja pentecostal à qual a família pertence. O texto da petição diz: “Eles são apenas uma família cristã normal. Tentam criar seus filhos no conhecimento de Deus! Não há qualquer tipo de abuso documentado de nesta família!”.

A porção final pede que os cristãos orem pela situação, uma vez que são acusações infundadas.

Aparentemente, as crianças receberam uma formação rígida, aprendendo sobre o pecado e o castigo divino. Isso chegou ao conhecimento da escola onde estudam os filhos mais velhos. Foi realizada uma denúncia, com suspeita de abuso, uma vez que eles seriam corrigidos pelos pais. Mesmo sem existir qualquer comprovação que as crianças sofram agressões, os pais perderam a apelação no tribunal regional.

Em sua defesa, Marius e Ruth afirmam que todos têm um bom desempenho escolar e que entendem ser prerrogativa dos pais ensinar valores. Por enquanto, o casal só poderá visitar seu filho de três meses de idade, duas vezes por semana, durante duas horas, bem como os seus filhos. Por enquanto, não terá acesso às filhas, que foram colocadas em um lugar diferente dos irmãos. 

 

Com informações deWND e The Nordic Page/Prime

Mulheres sequestradas pelo Boko Haram são resgatadas

Centenas de mulheres foram resgatadas pelo exército nigeriano recentemente. Elas foram mantidas como reféns do grupo extremista Boko Haram por muitos meses em um cativeiro localizado no Sambisa, uma floresta no estado de Borno.

Todas elas foram levadas para a cidade de Yola, capital do estado de Adamawapara, e ali alguns voluntários do Portas Abertas e outros cristãos se encontraram para encorajá-las e prestar apoio.

“As mulheres relataram que foram islamizadas à força e que foram obrigadas a se casar com os homens, enfrentando brutalidade constante e fome”, diz um dos analistas de perseguição do ministério Porta Abertas.

“A operação de resgate militar chegou muito depois de todo o sofrimento. Apesar de tudo, elas agradecem a Deus por estarem vivas”.

Mesmo traumatizadas pelo sofrimento que passaram, elas estão gratas por terem suas orações atendidas e por conseguirem escapar com vida de tanta violência.

“Elas estão recebendo o tratamento adequado e todo o cuidado necessário. Faça parte desse trabalho orando por elas, agradeça a Deus pelo resgate milagroso e peça para que Deus as cure emocionalmente”, afirmou o analista.

 

Fonte: Prime

Muçulmanos queimam estação de TV cristã

Nos últimos anos, o Paquistão tem vivido uma onda de intolerância religiosa contra os cristãos. Por causa da chamada “lei da blasfêmia”, agressões e morte são as consequências para qualquer um que vá contra o Islã, Maomé ou o Alcorão.  O caso mais emblemático é o de Asia Bibi, que está na cadeia há anos simplesmente por se declarar cristã.

Semana passada, um grupo de homens mascarados incendiou a sede da TV Gawahi, em Karachi. Era uma das maiores estações de televisão cristã do Paquistão, que tem menos de 2% de não islâmicos.

Por causa do incêndio, o prédio desabou. Até agora ninguém foi preso.

Fundada em fevereiro de 2013, a Gawahi TV atingia cerca de 12 milhões de pessoas regularmente. Era uma colaboração de católicos e protestantes, visando “difundir o Evangelho de Jesus Cristo para as pessoas de todas as religiões que vivem no Paquistão.”

O canal ficava no ar 24 horas por dia, sete dias por semana, transmitindo ensino bíblico, músicas e sermões. Por causa do seu alcance, a estação sofria constantes ameaças de violência dos radicais muçulmanos. Apesar de constantes pedidos de proteção, as autoridades nunca ofereceram a segurança necessária.

Javed Williams, o líder da Missão que controlava a emissora com seu irmão Sarfraz, declarou: “Paramos com nossa missão momentaneamente, mas não vamos deixar nossa esperança morrer. Estávamos fazendo a obra de nosso Deus e continuaremos a fazê-la com a ajuda divina”.

Representantes da Igreja Católica do Paquistão visitaram o local do incêndio e mostraram indignação com o ataque. O padre João Arif, da Diocese de Karachi, desabafou: “É desanimador ver o edifício e todo o equipamento queimado. O canal foi ativado para comunicar a palavra de Deus… Rezamos por paz e tolerância. ”

O doutor Nazir Bhatti, presidente do Congresso de Cristãos do Paquistão, denunciou o incêndio, exigindo a prisão dos criminosos responsáveis. “É surpreendente que a mídia paquistanesa não se preocupa em cobrir o incêndio na TV Gawahi, enquanto pequenos problemas com cristãos são sempre notícias de última hora”, asseverou. 

Com informações Breitbart/`Prime


Bingo sites http://gbetting.co.uk/bingo with sign up bonuses